#LateraldaLeitura O Bicho-da-Seda

… sangue e vingança na cena, morte na história,

uma espada manchada de sangue, a pena que escreve,
e o poeta um sujeito trágico de terrível borzeguim,
na cabeça uma grinalda de fósforos acesos em vez de louros.
Thomas Dekker
O nobre soldado espanhol


120835715_1GG

“Quando do desaparecimento do romancista Owen Quine, sua esposa procura o detetive particular Cormoran Strike. Inicialmente, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias — como fez antes — e quer que Strike o encontre e o leve para casa.

Mas, à medida que investiga, fica claro para Strike que há mais no sumiço de Quine do que percebe a esposa. O romancista acabara de concluir um livro retratando maldosamente quase todos que conhece. Se o romance fosse publicado, a vida deles estaria arruinada — assim, muita gente pode querer silenciá-lo.

E quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias estranhas, torna-se uma corrida contra o tempo entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike tenha encontrado na vida…” (trecho retirado do site da Editora Rocco).

Sobre a História

Cormoran Strike é um detetive que se viu diante da fama após resolver o misterioso caso de Lula Landry. Depois de ter sido procurado por uma esposa desesperada para encontrar seu marido que sumiu há 10 dias, Strike percebe que se envolveu em um caso mais complicado do que previa.

Quine, um escritor que tinha costume de sumir para conseguir o que queria, tentou protagonizar mais um desses shows quando sua agente se recusou a publicar a sua mais nova obra prima que retratava de forma grotesta cada um do seu círculo de relacionamento. Strike descobre que o escritor fora assassinado de uma forma assustadora e extremamente peculiar e cabe ao melhor detetive de Londres descobrir quem foi o responsável.

Minhas Impressões

 Para quem gosta do gênero o livro é extremamente indicado principalmente por nos deixar intrigados do início ao fim. Porém, se você ainda não leu o primeiro livro da série (O Chamado do Cuco) e pretende, é melhor que o leia antes, ou você terá muitos spoilers.

Desde o dia que eu terminei de ler O Chamado do Cuco eu já estava ansiosa para o próximo mistério que Robert Galbraith (pseudônimo de J.K.Rowling) escreveria. Com minhas expectativas altíssimas para essa continuação estava com um pouco de medo de ler e não gostar, mas felizmente a sequência foi escrita com ainda mais maestria do que o primeiro. Como leitora, fiquei o livro todo tentando descobrir quem era o assassino e confesso que todas as personagens em algum momento, aos meus olhos, foram culpadas. O final é surpreendente e genial!

Vocês encontram os dois primeiros capítulos do livro para ler na íntegra aqui.

#CantoDoCinema: Longas curtos

Olá, habitantes! Como vão?

Tenho certeza que alguns de vocês estão desfrutando do Netflix madrugada adentro, curtindo uma praia ou, simplesmente, vivendo do ócio, certo?
Bom, alguns de nós têm a sorte e/ou o azar de trabalhar e de gostar muito de cinema, também. E quando isso acontece, o jeito é apelar para alguma série com episódios curtos ou para o cansaço no trabalho graças ao filme um tanto longo que resolvemos assistir no dia anterior.
Porém, a listinha a seguir pode não ser creme da Avon, mas com certeza vai amenizar suas olheiras. Essa é para quem gosta de assistir os chamados “longas curtos”, que não passam de uma hora e meia, mas que trazem histórias diferentes e um grande dinamismo. Quem disse que cinema e horários não combinam?

Continuar lendo

#LateraldaLeitura Desventuras em Séries: A Sala dos Répteis

Olá moradores da Avenida mais bonita do Brasil, a Renata está de volta e com muitos projetos para esse ano (dica: vídeos e parcerias estão no meio), para começar com o pé direito a primeira resenha do ano vai ser sobre um livro que eu li já faz um tempo, mas que continua sendo um dos meus preferidos!

Desventuras em Série – A Sala dos Répteis é o segundo livro da série que foi escrita pelo pseudônimo de Daniel Handler o famoso e fantástico Lemony Snicket.

A série, narrada pelo próprio Lemony conta a história das crianças Baudelaire:

  • Violet, a mais velha de todos, com 14 anos ela já inventou mais coisas que a maioria das pessoas. Todo mundo que a conhece bem sabe que quando seus cabelos estão presos é porque ela está inventando algo novo.
  • Klauss, o do meio, é um gênio e leitor 24 horas por dia, sua lista de livros lidos é maior que qualquer outra.
  • Sunny, a bebê, já está com 1 ano e não consegue deixar de morder tudo o que vê.

As crianças não são normais mas eram muito felizes, até que um incêndio matou seus pais e destruiu a casa deles, Lemony deixa que eles não são crianças com muita sorte e por isso tudo de errado que pode acontecer, acontece. A morte dos pais foi só o Mau Começo (nome do primeiro livro da série, em inglês The Bad Beginning), depois eles foram morar com um parente distante o Conde Olaf o pior tipo de pessoa existente: mentiroso, malvado, interesseiro e aproveitador. O Conde nunca quis o bem das crianças, ele sempre quis a fortuna que seus pais deixaram, como Violet ainda não era maior de idade ela não podia ficar com o dinheiro. Bom, no primeiro livro da série eles conseguem se livrar do plano e desmascara-lo, mas não por muito tempo…

image

Em “The Reptile Room” as crianças estão a caminho de uma nova casa para ficar com um outro parente: Dr. Montgomery Montgomery ou Uncle Monty (Tio Monty) como ele prefere ser chamado é muito mais simpático e generoso que o último guardião dos órfãos, como ele é um herpetologista ele tem uma coleção imensa de cobras e outras répteis também. Assim que foram recebidas ficaram sabendo que o Tio Monty e elas vão fazes uma viagem para o Peru como o propósito de explorar as matas e achar cobrar, eles só precisam esperar a chegada do novo assistente Stephano.

Com a sua chegada, as crianças percebem que Stephano é na verdade o Conde Olaf, infelizmente elas falham ao tentar avisar o tio a verdadeira identidade do assistente. Mas, felizmente são crianças inteligentes e depois de várias tentativas e de uma tragédia elas conseguem desmascará-lo e se livrarem dele…por enquanto.

Os livros têm uma narrativa rápida e que flui muito bem,  são claramente escritos para crianças o que os fazem ainda mais gostosos de ler. Lemony, o narrador não só narra a história das crianças como também se justifica por terminar capítulos de forma inesperada, explica os termos que está usando e se relaciona com o leitor de uma forma geral, de uma maneira tão brilhante que depois de lido você sente falta dele.

image (1)

image (3)

image (2)

Algumas referências culturais e alusões literárias do livro:

  • Uma das serpentes em A Sala dos Répteis é a Cobra-Lobo da Virgínia (Virginian Wolfsnake), uma referência à escritora Virgina Woolf, o tio Monty avisa as crianças a nunca deixá-la próxima a uma máquina de escrever.
  • Quando o Sr. Poe entra em pânico enquanto Sunny fingia ser vítima da Víbora Incrivelmente Mortífera, ele grita uma série de nomes em desespero. A sentença exata é a seguinte: “Bom Deuz! Bendito Alá! Zeus e Hera! Maria e José! Nathaniel Hawthorne!” Enquanto os primeiros seis nomes se referem a diversas figuras religiosas, o último, Nathaniel Hawthorne, é uma romancista do século XIX.
  • Tanto o nome do navio para o Peru, Próspero, e o nome do disfarce do Conde Olaf, Stephano, são alusões da peça The Tempest de William Shakespeare.
  • Quando planejam como provar que Stephano assassinou tio Monty, Sunny é ordenada a vigiar a porta e morder qualquer um que adentrasse a Sala dos Répteis. A sentença é “Ackroid!” Sunny disse, o que provavelmente significava algo como “Roger!”. É uma referência ao livro O Assassinato de Roger Ackroyd, da Agatha Christie.

E ai? Se interessaram? Quero pedir a opinião de vocês, eu já li todos os livros da série vocês querem que eu faça a resenha de todos os livros? Em vídeo? Escrita? Todos em um post só? Todos em um vídeo só? Deixa aqui nos comentários o que vocês acham melhor e aproveitem para me contar se já lerem ou assistiram ao filme e o que acharam!

Beijos!

Renata