Pitácos Musicais: O membro que ninguém vê

O que faz um produtor? Sabe, aquele nome que todo mundo vê no panfleto do CD, mas não sabe exatamente o que ele faz? Pois é. Diferentemente do que ocorre no cinema, o produtor musical passa de longe de um patrocinador de luxo!

Talvez até fosse na época de uma das maiores (a maior, calem-se todos) bandas de rock de todos os tempos, os Beatles. Neil Aspinall, produtor da Apple Corps foi um dos grandes responsáveis pela manutenção do sucesso do quarteto, atuando como um grande patrocinador no começo (com uma incessante campanha pelos deuses dentro da gravadora) e depois como agente pessoal da banda.

Porém, com o passar dos anos e com as mudanças de direção da indústria, o papel de produtor mudou muito. Hoje, os homens atrás da janela de vidro são responsáveis por deixar o som redondinho e certo, da maneira como seve ser comercializado.

Rick Rubin

Um dos pioneiros nesse quesito foi Ricky Rubin, responsável pela produção de bandas como Johnny Cash, Red Hot Chili Peppers, Black Sabbath, The Cure, Tom Petty e vários outros gigantes do rock.

A inovação do barbudinho consistia na gravação ao vivo, ao invés de separar em faixas os instrumentos, no método tradicional. Isso gerou um som mais cru e próximo do natural que as bandas apresentavam nos palcos, alavancando vendas de discos.

O mais famoso desse processo é, provavelmente, “Blood Sugar Sex Magik”, do Red Hot Chili Peppers, que colocou a banda no topo das paradas automaticamente nos 5 discos seguintes da banda.

O outro homem de sucesso com esse processo foi Butch Vig, ex-baterista do Garbage. Dedo mágico ou não, Vig foi responsável por alguns dos discos de hard rock mais aclamados pela crítica nos últimos anos. “21st Century Breakdown” do Green Day, “Gish” do Smashing Pumpkins, “Wasting Light” do Foo Fighters e, o mais famoso dos seus trabalhos, “Nevermind” do Nirvana.

Imagem

Butch Vig

Mesmo quando não usava o processo de gravação ao vivo, sua técnica de deixar o som limpo e extremamente aproximado com a energia das bandas em seus respectivos shows. Por exemplo o disco “Broken”, do Nine Inch Nails, no qual os remixes de Vig lhe abriram diversas portas como produtor.

Da Inglaterra, Gil Norton (Foo Fighters, Pixies, Counting Crows) também teve um papel ativo na mudança de função dos produtores. Apesar de manter a técnica tradicional de gravação, Norton ficou conhecido por puxar até a última gota de talento dos músicos de seus projetos. Apesar de trabalhar mais com artistas de menor expressão, Gil Norton ainda é um dos maiores nomes na produção musical da atualidade.

Pois é. Pouco creditado, o produtores são hoje membros das bandas que produzem e grandes responsáveis pelo som que você ouve quando compra o disco da sua banda favorita. Se antes eles eram uma maleta de dinheiro, hoje eles fazem você aproveitar o som que você tanto aprecia!

Valeu, gente! Beijão e até mais!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s