#TOP 10 Quadrinhos

Olá, pessoas!

Aqui vai meu top 10 HQs. Espero que gostem. Eu adoro!

10) Mulheres Alteradas – Maitena

maitena

Para mulheres e homens que querem entendê-las: assim são as tirinhas de Maitena. Com um humor ácido, mas alinhadíssimo com a realidade, as mulheres da espevitada argentina abordam desde o TPM nosso de cada mês até as compras com as amigas. Além de serem engraçadíssimas (e descabeladas)! A HQ, que não chega a graphic novel, vem em 3 volumes curtos e rápidos com capas chamativas. Cada um é garantia de risadas. Vale a pena!

 

9) Avenida Dropsie: A Vizinhança – Will Eisner

dropsie

Tão lírico quanto em Nova York, Eisner constrói a história da Avenida Dropsie, desde a sua criação no meio de ricas fazendas, até sua decadência e destruição. Nela, habitam diversos tipos: de novos ricos a imigrantes; de judeus a mendigos; de crianças levadas a homens deprimidos. Curtinho e lindo!

 
8) O Reino do Amanhã – Alex Ross

amanhã

O que aconteceria quando, daqui a 20 anos, os vários descendentes dos super heróis que conhecemos começassem a lutar entre si para ver quem é mais poderoso? O mestre Alex Ross coloca essa situação no papel em desenhos realísticos feitos com nanquim e aquarela. Nesta mini graphic novel, os super heróis antigos, já aposentados, são abrigados a voltar à ativa e combater seus sucessores. Quem conhece o mundo dos quadrinhos ficará surpreso ao encontrar um Super-Homem grisalho, um Batman com exoesqueleto e androides e uma Mulher-Maravilha quarentona.

 

7)  O Fotógrafo – Didier Lefèvre

fotografo

Já pensou em visitar o Afeganistão levando uma câmera e muita curiosidade? Pois é, foi o que o fotógrafo francês Didier Lefèvre fez. Ele acompanhou a expedição dos Médicos Sem Fronteiras a um Afeganistão em plena invasão soviética, em 1986, e deixou tudo registrado em fotos e em quadrinhos. Ele faz uma leitura humana dos conflitos e é curtinho: são três volumes, cada um com umas 80 páginas. Lindo!

 

6) Nova York: a vida na cidade grande – Will Eisner

newyork

Nova York junta três grandes graphic novels do mestre Eisner e tratam da solidão e da agitação da vida na cidade grande em pequenas historietas em preto e branco. Como nas grandes metrópoles, essa HQ tem de tudo: crianças que quebram janelas, rapazes espiando pelo buraco da fechadura, casais rompendo noivados, prostitutas recusando casamento, atropelamentos, brigas de família, bueiros e metrô lotado. Uma linda representação da prisão de concreto que, ao mesmo tempo, é nosso lar.

 
5) Sin City – Frank Miller 

sincity

Que dizer deste grande clássico da cultura pop? Sin City foi dividido em 13 partes que se entrelaçam e se cruzam o tempo todo em Basin City. As histórias não são nada suaves: há prostitutas treinadas para matar quem invadir sua área; um “gigante” com tendências a alucinar; um assassino em série canibal; um pedófilo; um político corrupto; um detetive honesto e outro que espanca mulheres… já deu para ver que não são historinhas de ninar. A HQ ganhou uma adaptação LINDA para o cinema, em 2005, dirigida por Robert Rodriguez. Assim como a HQ, o filme brinca com o preto e branco e tem apenas alguns elementos coloridos. Indico para quem tem estômago forte e curiosidade aguçada!

 
4) Maus – Art Spiegelman

maus

Assim como A Vida É Bela e O Menino Do Pijama Listrado, Maus tornou-se um clássico quando se trata do holocausto judeu. Spiegelman desenha a história de seu pai, preso no campo de concentração, em analogias com animais: em seu universo, os alemães são gatos, os americanos são cachorros, os poloneses são porcos e os judeus são ratos (daí o título, Maus, cujo som remete à palavra “mouse”, que é “rato” em inglês). A graphic novel também conta como Spiegelman conseguiu o material para escrever Maus, e entra em questões como a relação pai-filho, casamento, racismo e a terceira idade. Triste e original, vale MUITO a pena.

 
3)  Persepolis – Marjane Satrapi 

marjane

No meio da Revolução Islâmica no Irã, uma pequena jovem ousa enfrentar os dogmas da religião. Nesta divertida e pungente graphic novel, Marjane conta sua trajetória de mulher que clama por liberdade debaixo de um véu. A dura crítica ao regime em seu país é quebrada por digressões que remetem à infância da iraniana e a experiências pessoais. A cultura islâmica é exposta, nua e crua. A HQ ganhou uma adaptação para o cinema em 2007: é uma animação francesa com traço muito parecido com o de Marjane.

 
2)  Retalhos – Craig Thompson

blankets

Eu adoro Thompson! Esta graphic novel é autobiográfica, dolorida, mas muito lírica. Enquanto relembra episódios sombrios da própria infância, o tímido Thompson conta como se envolveu com a extrovertida Raina no inverno de Wisconsin. Em preto e branco, trata de assuntos delicados, como abuso sexual, bullying, religião e divórcio, sem nunca pesar a mão na tristeza, já que mescla o duro com o divertido da infância. É de chorar e rir.

 
1) Habibi – Craig Thompson

habibi

Ela, uma menina sagaz, vendida para se casar antes dos dez anos de idade. Ele, um pequeno órfão, escravizado e carente por histórias. Juntos, os dois viverão uma complicada história de amor que mistura as dúvidas da sexualidade com um mundo fantástico baseado no Oriente Médio – e tudo emoldurado pelas histórias do Corão. Sultões, haréns, barcos no deserto, eunucos, lutas, sexo, ecologia e costumes, tudo lindamente traçado por Thompson em nanquim. O livro demorou 5 anos para ficar pronto, mas você lê as 700 páginas em uma tacada só.

 
BÔNUS:

Rascunho – Heloísa D’Angelo

33
Essa aqui é minha HQ pessoal. Uma autobiografia em quadrinhos. Em nanquim, eu mostro sonhos, decepções, lembranças, opiniões, tristezas, risadas, arrependimentos e expectativas para um futuro incerto. Não foi publicada, mas quem sabe um dia eu tomo coragem? Quem quiser dar uma olhadinha em algumas páginas, pode entrar no meu DevianArt: http://heloisapereira.deviantart.com/

 

É isso aí, cambada! Espero que vocês gostem dessa HQs. E vocês conhecem mais alguma legal? Comentem!

Anúncios

2 comentários sobre “#TOP 10 Quadrinhos

    • helodangelo disse:

      É verdade! Esqueci dessa! É tanta que a gente acaba esquecendo as melhores; na hora elas fogem. Mas fica a dica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s