Pequenos pensadores

Tirinhas são recortes engraçados da realidade, certo? Feitas para divertir?

Nem sempre. Hoje, vou falar um pouquinho daquelas personagens que eram nosso maior passatempo nas aulas de gramática – Calvin e Hobbes, Mafalda e Horácio sempre ilustravam as lições de sujeito e predicado e nos faziam brisar loucamente refletir um pouquinho sobre o mundo que nos rodeia.

Calvin e Hobbes

calvin-haroldo-02
A dupla mais icônica das tirinhas foi criada por Bill Waterson nos anos 1980: Calvin é um garotinho curioso e incisivo de seis anos, e tem como melhor amigo um tigre chamado Hobbes (não, eu não vou escrever Haroldo) – que, na verdade, é um bichinho de pelúcia animado pela imaginação de Calvin, sempre buscando escapar da realidade cruel. Enquanto brincam, eles discutem problemas da existência, como crescimento e morte. Também criticam muito a mídia, as guerras, o trabalho excessivo e a forma “adulta” de encarar a vida. O fato de Calvin ter seis anos de idade é um tapa na cara do leitor: a criança não tem medo de falar o que pensa de verdade. Vale lembrar que os nomes dos dois têm inspiração histórica: “Calvin” vem de João Calvino, um dos grandes reformadores da religião católica, que acreditava que o homem estaria naturalmente inclinado à maldade. Já “Hobbes”  é inspirado no filósofo inglês Thomas Hobbes – o feroz autor da frase “o homem é o lobo do homem”.

Mafalda

Mafalda-destaque

A pequena Mafalda tem uma visão bastante ácida do mundo.  Assim como Calvin, ela não consegue compreender o que leva os adultos a agirem de forma tão estranha, e enche seus pais com as mais difíceis perguntas: por que guerrear? Qual o sentido da representação geográfica do mundo? Por que a gente tem que trabalhar? E estudar? Por que o governo manda? E por que faz assim? Qual o sentido da vida?

Mafalda foi criada pelo cartunista argentino Quino (Joaquín Salvador Lavado) nos anos 1960 e desde então  ficou conhecida no mundo todo, sendo comparada, em grau de preocupação com o mundo louco, ao Charlie Brown de Charles Schulz. Tudo isso sem falar que ela é uma fofinha!

Horácio

horacio
O pequeno tiranossauro rex verde é um ícone da Turma da Mônica. Mas, longe das coelhadas cômicas que a garotinha de vermelho distribui, Horácio desenvolve uma visão filosófica do mundo. Em suas tirinhas, ele é mais crítico e mais maduro do que as outras personagens do universo Mônica, fazendo o leitor realmente pensar sobre o tempo, as relações, a solidão, as mudanças, a natureza e a questão mais importante de todas: a vida. O fato de o dinossaurinho viver antes da humanidade também lhe dá liberdade de fazer previsões críticas, como “será que no futuro a natureza ainda será tão bela?”. Horácio é, atualmente, um dos poucos personagens realmente desenhados e  um dos poucos roteiros escritos pelo próprio Maurício, por ser uma espécie de alterego que lhe dá liberdade de filosofar.

Anúncios

2 comentários sobre “Pequenos pensadores

  1. Rosane disse:

    Minha querida filha consegue escrever tudo o que sua mãe, com esta ” cabeça dura” de médica, sente, mas não consegue verbalizar. Realmente, os nossos filhos são a nossa continuidade e nos tornam eternos neste mundo! Te amo!

    • helodangelo disse:

      Obrigada, mãe linda! Que bom que você gostou 🙂
      Visite-nos mais vezes, a gente fala sobre (quase) tudo. Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s