#PitacosMusicais: Resenha de “Out Among The Stars”, de Johnny Cash

Algumas provas, trabalhos e inúmeros anti-vírus depois, eu estou de volta! Grande bosta!

Mas o que é uma semana sem o Pitacos se o artista que hoje é nossa manchete se foi tem 11 anos? Sim, Johnny Cash tem um álbum de inéditas lançado em 2014, com canções gravadas nos anos 1980 e encontradas pelo filho do deus do country. Senhoras e senhores, este é Out Among The Stars, de Johnny Cash.

11 anos depois e ele está de volta

11 anos depois e ele está de volta

Iniciamos com a canção título, que narra a história de um homem desesperado que compra uma arma e sai atirando pela cidade. A letra, sempre o forte do country ao lado das belíssimas linhas de violão e guitarra, fica ainda mais incrível com a grossa e delicosa voz de Cash. A canção “Baby ride easy” vem com a participação da senhora Cash, June Carter. O dueto é animado e deixa a música maravilhosa, enquanto a letra é uma maravilhosa declaração de amor.

“She used to love me a lot” já uma canção um pouco mais escura. Sem a animação das duas primeiras faixas, a terceira canção valoriza muito mais a voz de Cash e a sua capacidade de alternar narração e canto. Mesmo sem o ânimo do começo do disco, a música é praticamente perfeita e extremamente cativante.

A balada “After all” tem um teclado belíssimo e lembra muito as canções mais românticas de Elvis Presley, o que não é dizer pouco. Gravada ao vivo (no estúdio e sem plateia, no mesmo método que discos como Nevermind Blood Sugar Sex Magic), “I’m moving on” tem a participação de Waylon Jennings (mais um espírito acordado para o disco). Com uma linha de cordas maravilhosa e bateria acelerada, é a mais clara evidência de que o rock não existiria sem o country.

“If I told you who it was” é mais uma historinha, com música extremamente bem composta e aquela maravilhosa voz de Cash. Seja pela letra, pelos vocais graves ou pela performance dos músicos, a sexta faixa ganha o selo de melhor do disco. “Call your mother” não é exatamente uma música que se esperaria no caso de uma apresentação ao vivo. Apesar de ser boa, é meio entediante e interrompe uma bela sequencia de músicas excepcionais.

Voltando aos bons momentos, temos mais uma belíssima execução da essência do country com “I drove her out of my mind”. “Tenessee” é mais uma balada romântica extremamente cativante e familiar para fãs de Presley. Já os fãs do início da carreira dos Beatles vão se familiarizar facilmente com “Rock and roll shoes”, com seu refrão grudento e as guitarras dançantes.

Em mais um dueto com sua senhora, “Don’t you think it’s come our time” tem apenas vozes e dois violões, com um dos duetos mais bonitos da história da música. Em “I came to believe”, o tema religioso se esconde em uma das mais belas melodias do disco, que alterna um maravilhoso violão com o peso infalível da voz de Cash.

Fechando o disco, uma versão diferente de “She used to love me a lot”, composta em parceria com Elvis Costello, adiciona alguns aspectos psicodélicos à canção, o que deixa ainda mais pesada a atmosfera da (décima) terceira faixa do disco.

Brilhantemente composto, executado e produzido, Out Among The Stars poderia muito bem ter sido lançado enquanto Cash estava vivo. Porém, sendo póstumo, o álbum ressuscita um dos maiores nomes da música americana para novas gerações.

Valeu, gente! Beijão e até mais!

Artista: Johnny Cash

Disco: Out Among The Stars

Melhor música: “If I told you who it was”

Nota:  9,5/10,0

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s