Dream a Little Dream of Me #QuarteirãoDosQuadrinhos

Já está escuro, mas entre os travesseiros é aconchegante. Você sente os olhos pesados, impossivelmente pesados, como se deixá-los abertos nunca houvesse sido uma opção. Você boceja tanto que as lágrimas começam a escorrer bochechas abaixo. E, de repente, você não está mais na cama. Está flutuando em um céu cor-de-rosa, ou dançando com aquela pessoa especial, ou sendo perseguido por Jack, o estripador. Sonhos são mesmo umas coisas estranhas. Já parou para pensar no que aconteceria se o causador deles sumisse?

Sonho e sua areia do sono

Sonho e sua areia do sono

É assim que começa o épico Sandman, de Neil Gaiman. Na HQ, Sonho (ou Morfeu ou Sandman ou vários outros nomes) é sequestrado por uma seita muito louca, e mantido preso por mais de 70 anos. Seus objetos mágicos — um saco de areia do sono, um capacete e uma jóia poderosa — são roubados e perdidos. No primeiro volume, Sonho deve literalmente ir até o inferno para buscar seus talismãs e livrar a Terra das pragas causadas pela sua ausência, enquanto tenta reconstruir Sonhar, seu reino, que é composto por todos os sonhos e todas as fantasias dos seres vivos — daí as pragas todas: se Sonhar é destruído, a sanidade mental dos seres vivos também.

Sandman começou a ser publicado em 1998 pela DC – Vertigo — ou seja, é para adultos. Não espere historinhas bobas: a complexidade da HQ é grande. Primeiro, porque mistura épocas, países e até algumas línguas (o nome de Sonho, por exemplo, muda bastante ao longo da narrativa). Segundo porque o universo da história é o da DC, então existem super heróis como Batman e Superman (inclusive, o Caçador de Marte também reconhece Sonho e dá um nome em marciano para ele). Em terceiro lugar, é uma obra que tenta humanizar os 7 aspectos comuns a todos os seres vivos (Sonho, Morte, Desespero, Delírio, Destino, Destruição e Desejo), então é tudo muito poético — a Morte é irmã do Sonho, por exemplo. O mais genial (e talvez o mais confuso de se entender) é que Sonhar, o reino de Sandman, origina as divindades, os livros, as ideias, as vontades, as invenções… Então, esta HQ é realmente a base de tudo o que existe.

No total, são 13 arcos mas eu só comprei o primeiro hehe, cada um com uma problemática diferente e  novas personagens incríveis. A arte é colorida, mas obscura, toda em tons pastéis — e cada personagem, em especial as fantásticas, tem um balão de fala característico. Os capítulos são abertos com letras de músicas, todas relacionadas com a história e com o tema sonho, como “Dream a Little Dream of Me”, de Ella Fitzgerald, ou “Sweet Dreams”, do Eurythmics.

Sandman, de Neil Gaiman, é uma HQ indispensável porque é a origem de tudo — e, ao contrário do que se pode esperar, deixa o leitor acordadíssimo. Pode afofar o travesseiro e tomar seu leite morno, porque chegou a hora de partir para Sonhar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s